Engenharia de Produção

3 Passos que todo Engenheiro de Produção deve saber para ter sucesso na Indústria 4.0

A Indústria 4.0 não é apenas sobre implementação de IT (tecnologia da informação) ou OT (tecnologia operacional), e não está confinada a uma simples camada ou função de negócio.

É sobre entender, e depois gerenciar com a agilidade correta, o desempenho dinâmico da sua operação, através de instalação de tecnologia apropriada.

Paralelo à identificação dos objetivos estratégicos para a Indústria 4.0, você precisa de uma compreensão completa do comportamento e desempenho do processo dinâmico atual.

Por isso, temos aqui três passos para o sucesso da Indústria 4.0 usando uma abordagem por fases baseada na evidência.

Mas antes, é bom você conhecer o conceito do Digital twin.

Digital twin

Digital twin é uma cópia digital de um produto físico, serviço ou processo. Esse gêmeo digital funciona como uma simulação detalhada de objetos ou modelos de atuação, substituindo a criação de protótipos reais.

No modelo atual de produção, faz-se o design de um produto, a prototipagem do mesmo e por fim os testes. Isso demanda tempo e recursos extras.

Imagine, por exemplo, a fabricação de um carro de Fórmula 1. O protótipo do veículo é testado por dezenas de horas em túnel de vento, depois na pista etc. Se algo precisa ser corrigido, já houve um custo de produção que não será recuperado, além do tempo gasto.

Com o digital twin, o processo é diferente. Essa representação em ambiente digital simula as condições reais de uso do carro e quanto mais informações constar nessa simulação, mais eficientemente ela identificará possíveis problemas no projeto e o que pode ser melhorado.

A mesma utilidade dos digital twins para o setor automobilístico pode ser vista em outros segmentos. Prédios, roupas, objetos de decoração, eletrônicos e mesmo serviços públicos podem testar o funcionamento mais rapidamente, reduzir custos de operação e otimizar o desempenho das funções.

Agora sim, vamos aos passos.

Passo 1: Crie um digital twin de alto padrão para garantir a compreensão do estado atual.

A Indústria 4.0 não é apenas sobre implementação de IT ou OT, e não está confinada a uma simples camada ou função de negócio.

É sobre entender, e depois gerenciar com a agilidade correta, o desempenho dinâmico
da sua operação, através de instalação de tecnologia apropriada.

Paralelo à identificação dos objetivos estratégicos para a Indústria 4.0, você precisa de uma compreensão completa do comportamento e desempenho do processo dinâmico atual.

Um modelo de digital twin preditivo destes processos com um alto nível de detalhe apropriado pode garantir o nível necessário de compreensão e formar um ponto de partida melhor para perguntar e responder as questões certas de negócio.

Faz sentido começar usando tecnologia de simulação preditiva para desenvolver um modelo de alto nível que dê uma representação visual e precisa do estado atual.

Passo 2: Use do digital twin para fomentar o engajamento gerencial do alto escalão

O objetivo da Indústria 4.0 é criar nova agilidade e eficiências que possam entregar ao cliente experiências com qualidade superior por um custo mais baixo.

Tal transformação exige a compra total da ideia por parte da gerência. A simulação preditiva facilita este envolvimento pois ajuda a construir um case de negócio robusto de uma maneira altamente visual.

Os investidores chave devem ser envolvidos na criação dos objetivos e do escopo antes mesmo da criação do digital twin. A natureza visual do digital twin do momento atual é uma maneira poderosa de ter os investidores chave completamente envolvidos.

Ela os obriga a entender a dinâmica de suas operações de ponta a ponta, as hipóteses e a interagir de uma maneira que aprofunde o conhecimento visando um entendimento mais claro. Fazer isso logo, e não depois, ajuda a desenvolver pensamentos de sistemas conectados e irão refinar as hipóteses.

Passo 3: Use o digital twin para fazer as perguntas de negócio corretas e estabelecer objetivos claros da Indústria 4.0

Deveríamos automatizar o processo A ou o processo B? Deveríamos adicionar uma nova máquina ou duas a esta célula? O que podemos aprender a partir destes dados? Deveríamos implementar um conjunto de sensores em uma linha piloto e ver como funciona?

Estas questões são típicas de empresas que estão iniciando na Indústria 4.0. Quando você começa aqui, você corre um alto risco de investimento em tempo e recurso apenas para descobrir que está desperdiçando tempo enquanto o circo está pegando fogo em outro lugar (por exemplo, um gargalo de desempenho em algum outro lugar).

A tendência da gerência de colocar recursos em um problema durante uma crise sempre falha por algum motivo.

O gargalo real poderia ser uma tecnologia ou um processo, mas também poderiam ser habilidades relacionadas que requerem investimento em treinamento.

Tais limitações deveriam ser entendidas para maximizar o fluxo de investimentos em tecnologia.

Um digital twin de alto nível (granularidade mais baixa) pode rapidamente ajudá-lo a entender como os processos se comportam em cenários dinamicamente diferentes.

O twin pode ser usado para gerar questões sobre novas tecnologias, hipóteses de treinamento, níveis médios de produtividade dos operadores em várias partes do processo de ponta a ponta. Isto significa que as relações da causa e efeito podem ser melhores entendidas.

Ter esta abordagem o capacita a focar em resultados de negócio top down desde o início ao invés de focar em tecnologias com solução bottom up.

O uso do digital twin desta forma fornece um campo de testes virtual para uma opinião macro. Isto inclui o ajuste de objetivos de desempenho.

Frequentemente, as novas operações são objetivas e políticas pré-determinados que não são realistas, mesmo no início. Isto é devido à falta de compreensão de todo o processo.

Um digital twin pode ajudar, facilitando a identificação e testando os objetivos e os indicadores
chave de desempenho corretos antes de serem liberados.


Gostou? Existem mais três passos importantes. Se você quer saber quais são, basta clicar aqui para baixar um ebook completo, com todos os 6 passos.


Este post foi feito em parceria com a FlexSim Brasil.

Etiquetas
Veja mais

Luccas Costa

Formado em Engenharia de Produção, cursando Mestrado em Engenharia de Produção, especialista em Lean Manufacturing e em Solução de Problemas. Movido pela busca de novos conhecimentos e por compartilhar experiências.

Comentários no Facebook

Botão Voltar ao topo
Fechar