Tecnologia e Inovação

Entenda (mesmo) o que é Business Intelligence

BI.pngA importância de se conhecer todas as suas próprias fraquezas e virtudes bem como as fraquezas e as virtudes de seus inimigos em uma competição é uma ideia milenar. Dessa forma, vemos que o conceito que rege toda a criação do Business Intelligence (no português “Inteligência de negócio” ou, ainda, “Inteligência Empresarial”) não é tão recente assim, embora seja um assunto extremamente atual e relevante para o mercado vigente.

O termo “Business Intelligence” foi usado pela primeira vez na “Cyclopaedia of Commercial and Business Anecdotes” em 1865. Criado por Richard Millar Devens, o termo foi criado para descrever como um bancário da época lucrou ao agir baseado em dados retirados do ambiente, ideia que antes nunca tinha sido executada até então.

A evolução do BI está diretamente relacionada como o desenvolvimento de uma série de tecnologias que foram surgindo com o tempo como DASD (Direct Access Storage Device) e SGBD (Sistema Gerenciador de Dados), por exemplo.

Hoje, BI é sinônimo do processo de coleta, organização, análise, compartilhamento e monitoramento de dados brutos que, depois de transformados, viram informações úteis para a tomada de decisões estratégicas.

Já foi o tempo no qual usávamos o método tentativa e erro para gerir os negócios. Hoje em dia, com o avanço tecnológico, conseguimos ter uma base sólida que justificaria certa tomada de decisão. Claro que pesquisas com o público alvo, modelos estatísticos, dados históricos do mercado e outras ferramentas de dados poderiam oferecer alguns insights importantes. Porém, atualmente, lidamos com um mercado mais complexo que já não pode ser visto como um grupo homogênio; precisamos separar os clientes e entender suas especificações e seus comportamentos. Além disso, esses clientes, embora diferentes, possuem uma característica comum: geram enorme quantidade de dados online enquanto consomem serviços, produtos e informação. Justamente para lidar com essa quantidade de informação que o BI entra em cena e transforma tudo em inteligência, ajudando a quantificar a relação das organizações com seus consumidores. O BI também possibilita a identificação de custos sobressalentes, novas oportunidades de negocio, fornece relatórios acessíveis de dados, ajuda a empresa a ter uma reação rápida às demandas do mercado e a otimizar seus preços.

Todo o processo começa com a coleta de dados que são retirados de um Data Warehouse (“Armazém de dados”) que é onde acontece a integração de dados de uma ou mais fontes; aqui, qualquer dado seja vindo de um ERP, CRM, planilhas de excel ou até mesmo arquivos de texto são aproveitados. Uma vez em posse dessa infinidade de dados, o próximo passo é a mineração deles, ou seja, a busca por padrões, correlações, anomalias e, dessa forma, conseguir obter informações privilegiadas. Após a mineração, fazemos a análise do que retiramos dessa etapa e, então, relatamos detalhadamente para fornecer uma visão mais clara do cenário com o qual estamos lidando. A partir daí, faz-se a reengenharia que tem como objetivo adaptar a estratégia às novas informações conseguidas.

Inicialmente, as fontes de informação são coletadas dentro das próprias empresas. A segunda fonte de informação relevante é composta por diversas informações sobre as tendências mundiais, sobre o ambiente no qual a empresa está inserida, sobre seus concorrentes, comportamente dos clientes, aspectos econômicos e tecnológicos entre outros tipos de dados.

No Brasil, as empresas que mais utilizam do BI como forma de gerir melhor seus negócios são as instituições financeiras, empresas de telecomunicação e seguradoras. Uma pesquisa feita entre as empresas, apontou que os maiores benefícios da utilização de um sistema de BI são economia de tempo, obtenção de uma versão única da verdade, melhores estratégias e planos, melhores decisões táticas, processos mais eficientes e economia de custos.

E aí? Se interessou pelo assunto? Espero ter conseguido mostrar o quão incrível é um sistema de BI! Qualquer dúvida, só escrever nos comentários (:

Tags
Veja mais

Bruna Hamori

Bruna Hamori, 22 anos, é estudante de engenharia de produção. Trabalhou dois anos e meio na startup de tecnologia e educação Responde Aí, da qual saiu para se dedicar à área ambiental. Morou nos Estados Unidos e na Argentina, onde se dedicou a entender a relação da engenharia com o desenvolvimento social. Criou, recentemente, um blog no qual pretende compartilhar suas tentativas de causar impacto positivo no mundo.

Comentários no Facebook

Close