Tecnologia e Inovação

Movimento Maker

Antes dos anos 70 a troca de informações era difícil pois tinha somente a televisão e o radio para disseminar informação pelo mundo, mas isso mudou com a chegada dos computadores pessoais facilitou essa troca de ideias por meio da internet, em paralelo a isso temos a cultura “Do it yourself” (ou faça você mesmo, em português) ou simplesmente DIY que é você criar o que você precisa, por exemplo fazer seus moveis, uma reforma na sua casa, customizar roupas e assim vai. E a partir do DIY e a internet veio o surgimento do movimento maker que juntamente com a revolução dos computadores para troca de informações entre os fazedores, mas esse movimento veio mesmo a despontar a partir dos anos 2000 com o surgimento de impressoras 3D que ajudou muito a alavancar o movimento.

O movimento maker da forma que é hoje, tem objetivo de criar novos dispositivos ou alterar algo já existente. E os maker estão diretamente ligados às áreas da engenharia, como eletrônica, robótica, impressão 3D, não deixando de lado também atividades mais tradicionais com uso de madeira e metal por exemplo. E também temos vários espaços destinados a isso os chamados makerspace, fablabs que normalmente contam com  impressoras 3D, cortadora à laser, cortadora de vinil, CNC de precisão de pequeno porte e CNC de grande porte mais algumas ferramentas para criação, e é onde reúnem empreendedores ou entusiastas do movimento a partir de workshops e feiras.

ideia 300x173 - Movimento MakerFonte: http://www.crieaqui.com/portal/

Bom e o que isso tem haver com nós engenheiros? Ser maker não é somente criar uma peça em uma impressora 3D ou criar uma programação com a placa de arduino, a partir desse universo de criação tornam makers pessoas com empreendedorismo forte e presente no Movimento Maker já que cada vez makers criam novas empresas que nasceram de seus projetos pessoais. Ser maker não quer dizer que não possa ser profissional. Ser maker é relacionado à atitude e vontade, querer resolver um problema para você ou seu próximo. Ser profissional é se comprometer com uma solução que vai ser usada pela sociedade e estar consciente das suas atitudes.

O grande impasse não é digitalizar sua empresa, não é usar Ar­dui­no, impressora 3D ou inteligência artificial. É mu­dar a cultura de sua empresa. É permitir a inovação. É fomen­tar o intraempreendedorismo. A popularização do movimento maker pode ajudar o brasil e as empresas a enfrentar seus desafios!

Vou deixar alguns links com alguns projetos para você começar seus projetos com arduino ou com impressora 3D que neste caso tem que procurar um makerspace ou fablab com o equipamento na sua cidade:

+ Impressão 3D:

https://www.thingiverse.com/

http://www.instructables.com/

https://pinshape.com/

+ Arduino:

http://blog.fazedores.com/sensor-optico-reflexivo-tcrt5000-com-arduino/

http://blog.fazedores.com/sensor-ultrassonico-com-arduino/

http://www.experimentoria.com.br/arduino-6-coisas-muito-legais/

Etiquetas
Veja mais

Brenno Magalhães

20 anos, mineiro, apaixonado por tecnologia, inovação, gestão, gosto de aprender e de ensinar, no momento de descanso um bom livro e boas séries.

Comentários no Facebook

Botão Voltar ao topo
Fechar