Engenharia de Produção

Pesquisa Operacional hard e soft: entenda a diferença entre elas

pesquisa operacional 2 - Pesquisa Operacional hard e soft: entenda a diferença entre elas

A Pesquisa Operacional (PO) é a área da Engenharia de Produção responsável por modelar problemas do mundo real e resolvê-los, de modo a otimizar os resultados e subsidiar o processo de tomada de decisão.

A origem..

O surgimento da PO tem origem nos conflitos da Segunda Guerra Mundial, na qual os aliados formaram grupos multidisciplinares para resolver problemas logísticos e de estratégia tática nos campos de batalha. O nome operacional provém do fato de os cientistas irem a campo avaliar, modelar e propor soluções para os problemas enfrentados. Os times multidisciplinares envolviam físicos, matemáticos e engenheiros, bem como cientistas do ramo das ciências sociais.

A PO logo gerou resultados positivos aos aliados e, no fim da guerra, o assunto incorporou-se as organizações, na qual começaram a ser utilizados modelos matemáticos para modelar e resolver os problemas existentes e contribuir para a tomada de decisões. Neste momento surge o método simplex, de programação linear, conteúdo básicos dos cursos de PO.

Evolução…

Com o passar dos anos, o PO ganhou destaque nos estudos de Engenharia, tornando-se uma das áreas da Engenharia de Produção. Entretanto, os analistas de PO começaram a perceber que os problemas estavam se tornando cada vez mais complexos e as modelagens matemáticas mostravam-se incapazes de compreender toda a realidade e complexidade do mundo real.

Existem dificuldades para as modelagens matemáticas cartesianas incorporarem todos os aspectos do mundo real. Por exemplo, dados de natureza qualitativa, embora relevantes , dificilmente podem ser transcritos para os modelos. Além disso, existem os aspectos subjetivos e cognitivos que envolvem a tomada de decisão, ainda mais difíceis de serem incorporados.

Soft X Hard

Neste sentido, surgiu na Inglaterra um ramo da PO, denominado Soft, que preocupa-se essencialmente com as modelagens dos problemas, suas soluções, implantação das soluções e avaliação dos resultados. A PO soft não é considerada uma oposição a PO hard, tradicionalmente Norte Americana e quantitativa, mas sim uma complementação, visto que quando os dois ramos trabalham juntos os resultados são ainda melhores.

A PO soft utiliza os métodos denominados “Métodos de Estruturação de Problemas” ou Problems Structuring Methods – PSM´s para realizar uma completa estruturação acerca da realidade a ser estudada.

A partir da estruturação, podem ser articulados modelos formais quantitativos de PO hard para modelar, otimizar e resolver alguma parte do problema. Todavia, em qualquer um dos ramos da PO é essencial que o analista esteja em campo para conhecer os processos que norteiam o problema e também obter dados confiáveis a considerados pelos modelos.

Dentre os PSM´s, destacam-se o SSM (Soft Systems Methodology), SODA (Strategic Option Development and Analysis), SCA (Strategic Choice Approach). Já em relação aos métodos hard, destacam-se Programação Linear e suas aplicações, tais como Data Envelopment Analysis (DEA), Programação por metas, métodos multicritério, bem como algoritmos de programação mista, inteira e não linear, além de simulação.

Embora seja importante ao analista decidir qual ramo da PO utilizar ou fazer uma articulação entre o soft e hard, é essencial a validação dos modelos. A validação visa verificar qual o grau de aderência do modelo a realidade, visto que se não houver aderência, não há confiabilidade e, consequentemente, não há subsídio a tomada de decisão.

 

Etiquetas
Veja mais

Rafael Jahara

Rafael Jahara é engenheiro de produção pelo CEFET/RJ, com período de mobilidade no ISEP - Portugal. Atualmente é mestrando e pesquisador do Programa de Engenharia de Produção da COPPE/UFRJ. Suas linhas de pesquisa envolvem Sistemas Sociais Complexos, Lean Production e melhoria de sistemas.

Comentários no Facebook

Botão Voltar ao topo
Fechar