Engenharia de Produção

Projetos ágeis: framework Scrum para produtos complexos

Scrum é uma estrutura processual para desenvolvimento e manutenção de produtos complexos. Nele as pessoas podem resolver problemas  de adaptação enquanto que de maneira criativa e produtiva oferecem produtos de maior valor. Ele é simples, fácil de entender e difícil de dominar.

O Scrum é uma estrutura que vem sendo usada para o desenvolvimento de produtos complexos, principalmente na área de TI – Tecnologia da informação. Ele não é uma técnica ou um processo para desenvolver produtos, mas sim uma estrutura em que se pode empregar vários processos e técnicas. Sua estrutura é composta pela equipe Scrum, onde cada componente tem uma função e serve a um propósito. Seu engajamento é essencial para o sucesso.

Três pilares o sustentam: transparência, inspeção e adaptação.

A transparência está ligada as diferentes partes interessadas possuírem um conhecimento comum sobre o que está sendo criado. Por exemplo, a linguagem deve ser comum e compartilhada, todos devem ter o mesmo entendimento sobre o done (entregável).

Já a inspeção diz respeito ao monitoramento frequente dos entregáveis e do progresso frente ao resultado final esperado, visando identificar variações indesejáveis. A frequência de monitoramento não deve prejudicar a execução das tarefas, mas sim beneficiá-las.

Se um ou mais aspectos do projeto estão além do tolerado e o produto final resultará em algo inaceitável, os processos devem ser ajustados. Os ajustes devem ser realizados o mais cedo possível para minimizar os desvios, daí a necessidade de adaptação. Existem quatro fases formais para inspeção e adaptação: reunião de planejamento de iteração, reunião diária de Scrum (daily scrum), revisão de iteração e retrospectiva de iteração.

A equipe Scrum é constituída por um Product Owner, equipe de desenvolvimento e o Scrum master. Elas são auto organizadas e multifuncionais. Elas decidem entre si a melhor maneira de executar seu trabalho e possuem internamente todas as competências necessárias para sua execução.  Essas equipes entregam produtos de forma iterativa e incremental, maximizando as oportunidade de feedback .

O product owner é o indivíduo responsável por maximizar o valor do produto e o trabalho da equipe de desenvolvimento. Além disso, é o único responsável gerir o product backlog. que é uma lista ordenada de tudo o que possa ser necessário e é a única fonte de requisitos para as alterações a serem feitas no produto. Toda a organização precisa respeitar as decisões do product owner.

A equipe de desenvolvimento é constituída por profissionais cujo trabalho é entregar, no fim de cada iteração, incrementos dos entregáveis, os dones. Elas organizam seu próprio trabalho e possuem sinergia. Essas equipes são auto organizadas e multifuncionais. Além disso, elas precisam ser pequenas o suficiente para se manter ágil e grande o suficiente para realizar seu trabalho.

O Scrum master é responsável por garantir que o Scrum seja compreendido e divulgado. Eles capacitam as equipes sobre a teoria, regras e práticas. Além disso, ajudam as pessoas compreenderem suas atribuições e o resultado do seu trabalho. Ele atende ao product owner da seguinte maneira: encontrando técnicas para gerir o product backlog; comunicando de forma clara a visão, objetivo e itens do product backlog a equipe de desenvolvimento; ensinando a equipe Scrum a criar itens claros e precisos do product backlog e facilitando eventos Scrum sempre que necessário.

Os eventos Scrum são obrigatórios para criar regularidade e minimizar a necessidade de reuniões não planejadas. São previstos eventos com durações bem definidas, isso garante a quantidade ideal de tempo, evitando desperdícios. Cada evento Scrum é uma oportunidade formal de inspecionar e adaptar algo, assim é fundamental a transparência.

O principal evento Scrum é o Sprint, um intervalo de tempo para a realização de um “done”, ou entregável. Os sprints possuem a mesma duração ao longo de todo o projeto. Um novo sprint começa imediatamente após o fim do sprint anterior.

Além disso, o Sprint é constítuido pelas seguintes macro atividades: reunião de planejamento do Sprint,  daily Scrums,  desenvolvimento do trabalho em si, revisão do sprint e retrospectiva do Sprint.

Cada Sprint deve ser considerado um projeto com duração de menos de um mês. Eles são criados para realizar alguma coisa. Quando um Sprint possui duração de mais de um mês a definição do que está sendo construído pode mudar, aumentando a complexidade e o risco.

No próximo texto cada evento Scrum será descrito, bem como será explicado melhor o product backlog e a definição de done (entregável).

 

 

 

Veja mais

Rafael Jahara

Rafael Jahara é engenheiro de produção pelo CEFET/RJ, com período de mobilidade no ISEP - Portugal. Atualmente é mestrando e pesquisador do Programa de Engenharia de Produção da COPPE/UFRJ. Suas linhas de pesquisa envolvem Sistemas Sociais Complexos, Lean Production e melhoria de sistemas.

Comentários no Facebook

Close