Engenharia de Produção

Seja bem vindo a nova era da Engenharia da Sustentabilidade

Repense materiais e resíduos para uma economia circular

Engenharia da Sustentabilidade

O conceito de desenvolvimento sustentável tem que ser aplicado amplamente por todas as engenharias numa interdisciplinaridade, onde não fique restrito apenas à engenharia ambiental, com o objetivo de uma maior qualidade de vida para todos (UNESCO, 2017).

O desenvolvimento sustentável é um termo que passou a ser conhecido a partir do relatório publicado pela Comissão Mundial sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento (World Commission on Environment and Development) da ONU, em 1987, chamado de Nosso Futuro Comum (Our Common Future). Pouco tempo depois líderes mundiais assinaram na Eco-92 ,no Rio de Janeiro, os princípios de desenvolvimento sustentável. O tripé do desenvolvimento sustentável é o desenvolvimento econômico, equidade social e proteção ambiental (Cavenaghi, 2018). 

Processo de transformação e os impactos de sustentabilidade 

Uma empresa efetivamente sustentável é uma empresa que pensa na cadeia como um todo, desde o fornecedor de matéria prima ao consumidor final, significa também dar destinação correta ao resultado da transformação da matéria prima, os produtos desejados e as saídas não desejadas(Cavenaghi,2018). 

Gestão dos impactos ambientais – Sistemas de Gestão ambiental 

Segundo a ISO 14001:2004 o termo meio ambiente é entendido como: “circunvizinhança em que uma organização opera, incluindo-se ar, água, solo, recursos naturais, flora fauna, seres humanos e suas inter-relações” (ABNT NBR ISO 14001, 2015). Sendo assim o meio ambiente formado por um conjunto de elementos tão importante, qualquer intervenção humana tem que ser analisada em três categorias: o risco ambiental, aspecto ambiental e impacto ambiental. O risco ambiental diz respeito a fenômenos que afetam o equilíbrio ambiental; o aspecto ambiental: elemento das atividades, produtos ou serviços que pode interagir com o meio ambiente; impacto ambiental é caracterizado pela alteração do ambiente em decorrência de atividades humanas (Cavenaghi, 2018). 

O sistema ambiental(SGA) tem o papel de coordenar as atividades de uma empresa com o objetivo de diminuir os impactos de produtos desejados e não desejados, a partir de um plano de sustentabilidade que possui entre outras características diretrizes e definição de objetivos. Alguns elementos presentes no SGA são: Política ambiental, Planejamento, Implementação e operação, monitoramento, revisão gerencial e melhoramento contínuo (Cavenaghi, 2018). 

Conceito Triple Bottom Line 

Também conhecido como 3 Ps (People, Planet e Profit ou Pessoas, Planeta e Lucro), estabelece que para uma empresa ser realmente sustentável esses três eixos tem que estarem trabalhando em harmonia. Quando falamos de “pessoas” dentro do conceito, estamos falando de preservar o capital humano; enquanto o “planeta” se refere ao capital natural e por fim o lucro (MeuSucesso, 2018). 

Indicadores e Relatórios de Sustentabilidade

Os indicadores são ferramentas que permitem conhecer a performance de acordo com os objetivos organizacionais, através de dados mensuráveis e rastreáveis. Os relatórios de sustentabilidade são criados para informar as partes interessadas a situação em que se encontra a empresa em relação a seus objetivos. As principais metas de um relatório é desenvolver uma estratégia de gestão pensando no futuro, melhorar a comunicação com acionistas e afirmar a cultura organizacional da empresa (Cavenaghi, 2018). 

Modelos de relatórios: Balanço social(IBASE); Indicadores Ethos; Dow Jones Sustainability-IDJS; ISE- Índice de Sustentabilidade Empresarial; GRI: Global Reporting Initiative.

Manufatura sustentável 

Os impactos que a superpopulação de habitantes está causando no planeta são muitos e temos como consequência entre outros fatores a aceleração das mudanças climáticas, poluição e o depósito de tudo que não conseguimos reciclar em aterros. O conceito de transformação ideal dos materiais estabelece que a produção seja toda pensada para que não haja emissão de gases do efeito estufa, os materiais utilizados sejam renováveis e com ciclo de vida útil longo, não usar materiais tóxicos e geração zero de resíduos. Na maioria dos casos não é possível seguir essas recomendações a risca então a palavra de ordem é “reduzir”(Cavenaghi, 2018). 

Logística reversa 

 A logística reversa é caracterizada pelo processo de retorno de produtos do local de consumo até a origem. Regulamentada pela Lei n°. 12.305, de 2 de ago. 2010, que institui a política Nacional de Resíduos Sólidos. Estabelece entre outros pontos importantes que o produtor é responsável pelo ciclo do produto, responsabilidade compartilhada por todos as empresas e órgãos envolvidos no processo de produção, obrigação do consumidor em fazer a coleta seletiva de lixo; dar a destinação correta para resíduos em que não é possível reciclar ou tratar (Cavenaghi, 2018). 

Economia Circular 

O planeta Terra onde vivemos atualmente está abrigando uma população consumidora de 7.7 bilhões de pessoas. Num mundo onde nossos recursos naturais são finitos e cada vez mais estamos fazendo uso irresponsável dos mesmos, temos que substituir a velha lógica da economia linear de extrair, produzir e descartar pela economia circular, trata-se de um modelo inspirado na natureza onde os ecossistemas trabalham em ciclos – as plantas crescem, os animais se alimentam delas e as fezes nutrem o solo para que o ciclo recomece, ou seja redução, reutilização e reciclagem. No livro Cradle to Cradle escrito pelo arquiteto William McDonough e pelo químico Michael Braungart, em 2002, defende que os produtos e processos econômicos sejam projetados para que ao fim da sua serventia possam tornar-se base para outro produto.

Para alcançar a sustentabilidade do que produzimos um fator muito importante é pensar na utilização de materiais que tenham ciclos de uso longos, como o cobre que pode ser reciclado indefinidamente. O novo movimento da economia circular está introduzindo novas ideias como a economia compartilhada, que consiste em aproveitar recursos ociosos e não na posse, e o minimalismo (Kunzig, 2020). 

De acordo com Nunez (2020), há 5 conceitos chave para repensar materiais e resíduos:

  1. Substituir o mundo descartável em que vivemos por uma nova forma de processo onde o desperdício de recursos é o mínimo possível, os produtos durem o máximo possível e por fim a canalização do material para o início do ciclo produtivo. É importante deixar claro que a reciclagem sozinha não é a resposta, um bom exemplo disso é o alumínio que só pode ser reciclado apenas 3 vezes antes de ir para um aterro sanitário. 
  2. Ser sustentável é bom para as empresas no ponto de vista da redução dos efeitos das mudanças climáticas e do desenvolvimento de tecnologias de reaproveitamento de materias que serão muito valorizadas pela indústria. 
  3. As cidades têm um papel importante na economia circular, há muitos resíduos produzidos pelos moradores que podem ser reaproveitados de outra forma, como por exemplo transformar lixo orgânico em biogás para abastecer caminhões e aquecimento de residências. 
  4. Estabelecer uma política que cobra menos impostos das empresas que diminuem o ciclo de vida das emissões de carbono.
  5. Como consumidor todos temos o papel de pressionar empresas pelas boas práticas ao meio ambiente,aumentando o uso de materiais reciclados,  fazendo isso podemos acelerar a economia circular. 

Fórmula de “iPAT”

A fórmula de i = PAT, serve para dar uma estimativa do impacto negativo que a população do planeta está causando nos sistemas de suporte à vida dos quais dependemos. O “P”, significa a quantidade de pessoas, é multiplicado por “A”, que significa riqueza ou consumo médio por indivíduo, por fim o “A” é multiplicado por “T”, que significa uma medida da tecnologia que produz riqueza. O “T”, é o agente mais importante da equação e tem que ser analisado quanto à eficiência da tecnologia disponível em não poluir. Melhorar a tecnologia para reduzir o impacto humano junto com a reciclagem e reutilização, não surtirá um efeito importante nas nossas relações com os ecossistemas se tivermos uma explosão populacional nas próximas décadas. Muito pouco se fala sobre o problema do consumo, presente em “A”, pois o modelo de capitalismo atual viabiliza apenas o consumo massificado,não abrindo espaço para políticas de incentivo a diminuição de consumo, visto que iria na contramão da geração de riqueza dos países.

O dilema atual levantado pelos cientistas durante a Avaliação de Ecossistemas do Milênio é se seremos capazes de sobreviver às consequências da degradação ambiental, levando em consideração que civilizações antes da nossa que passaram pelos mesmos problemas dentro da sua realidade, como a civilização maia clássica da Ilha de Páscoa e de Nínive, entraram em colapso. Para evitar esse cenário é necessário que haja consenso mundial quanto ao estilo de vida das populações nas relações de consumo (Ehrlich, Paul. e Ehrlich, Anne. 2008). 

Considerações finais 

No futuro grande parte dos materiais serão projetados para ser um nutriente técnico, que ao fim do ciclo de uso pode virar uma peça para fazer outro produto, ou biológico, que possa ser comestível ou retornar ao solo como adubo (Kunzig, 2020). 

Segundo Skerlos (2012), os maiores desafios que teremos que enfrentar para que tenhamos um mundo sustentável é a aplicação da tecnologia na cadeia de produção e o crescimento acelerado da população mundial. 

Exemplos de economia circular

Máquina de fazer suco de laranja desenhada por Carlo Ratti Associati (CRA), pode ser carregada com 1500 laranjas onde as frutas, rolam, são fatiadas e o suco é espremido. As cascas vão para um tanque que até o final do dia são secas, posteriormente transformadas em pó e adicionado de um solvente orgânico para criar um bioplástico. O bioplástico será utilizado por uma impressora 3D integrada à máquina e imprimirá um copo para servir o suco. Exemplo perfeito de economia circular onde nada se perde. O desperdício é fruto de um erro de design (Wilson, 2019). 

Usina de energia mais limpa do mundo, localizada na capital da Dinamarca, apelidada de Copenhill, transforma por ano 534.600 toneladas de resíduos em energia para 30.000 residências e aquece 72.000. Seu design moderno permite aproveitar a parte superior da construção em uma pista de esqui, possui também percurso arborizado para caminhadas e uma parede de escalada com 8 metros de altura (Kunzing, 2020). 

Base da Força Aérea Davis-Monthan, localizado em Tucson Arizona. Conhecida como Boneyard, com 3.300 aviões e helicópteros desativados é a maior instalação de desmantelamento e reaproveitamento de aeronaves no mundo (Kunzing, 2020). 


Referências

Sustainable Engineering. UNESCO Natural Sciences. UNESCO, 2020. Disponível em: <http://www.unesco.org/new/en/natural-sciences/science-technology/engineering/sustainable-engineering/>. Acesso em: 16 de abr. 2020. 

CAVENAGHI, Paulo. Engenharia de Produção | Engenharia da Sustentabilidade por UNIVESP. Youtube, 2018. Disponível em: <https://www.youtube.com/playlist?list=PLxI8Can9yAHeLupIAPc488WMgwkCTK8ok>. Acesso em: 18 de abr. 2020.

Sistemas de gestão ambiental – Requisitos com orientações de uso. ABNT NBR ISO 14001, Rio de Janeiro , 6 de mai. de 2015. Disponível em: <https://www.ipen.br/biblioteca/slr/cel/N3127.pdf>. Acesso em 18 de abr. 2020. 

O que é Triple Bottom Line? MeuSucesso.com, 2018. Disponível em: <https://meusucesso.com/artigos/gestao/offseto-que-e-triple-bottom-line-386/>. Acesso em: 19 de abr. 2020. 

KUNZIG, Robert. Is a world without trash possible? National Geographic, 18 de fev. 2020. Disponível em: <https://www.nationalgeographic.com/magazine/2020/03/how-a-circular-economy-could-save-the-world-feature/>. Acesso em: 19 de abr. 2020. 

NUNEZ, Christina. Building a circular economy: five key concepts. National Geographic, 15 de abr. 2020. Disponível em: <https://www.nationalgeographic.com/science/2020/04/partner-content-circular-economy-event-recap/>. Acesso em: 19 de abr. 2020. 

Ehrlich, Paul; Ehrlich, Anne. Too Many People, Too Much Consumption. YaleEnvironment360, 4 de ago. 2008. Disponível em: <https://e360.yale.edu/features/too_many_people_too_much_consumption>. Acesso em: 20 de abr. 2020. 

SKERLOS, Steven J. Sustainable Engineering – University of Michigan Engineering. Youtube. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=c2eNrFK5M8I>. Acesso em: 21 de abr. 2020.

WILSON, Mark. What is the circular economy? Here’s a perfect visual explanation. Fast Company, 9 de nov. 2019. Disponível em: <https://www.fastcompany.com/90400900/what-is-the-circular-economy-this-machine-perfectly-visualizes-the-buzzword>. Acesso em: 23 de abr. 2020.

 

Etiquetas
Veja mais

Vinicius de Almeida

Discente em Engenharia de Produção pela UFPE-CAA. Em constante amadurecimento profissional, sempre em busca de novos desafios.

Comentários no Facebook

Botão Voltar ao topo
Fechar