Engenharia de Produção

Teoria das Restrições

restricoes blog da qualidade - Teoria das Restrições

Em primeiro lugar, é importante entender o que vem a ser uma restrição. Em um processo produtivo, as restrições estão associadas aos recursos limitantes cuja a capacidade é insuficiente para atender a demanda. Sendo assim, uma máquina mais lenta, um operador mal treinado, ou um equipamento quebrado são exemplos de situações que podem causar uma restrição no processo, comprometendo assim seus resultados. Desta forma, podemos entender que:


Restrição é toda e qualquer limitação da quantidade que poderia ser produzida caso houvesse uma maior capacidade de um dado recurso.

http://www.abepro.org.br/biblioteca/enegep2004_enegep0101_1040.pdf

Como surgiu?

Geralmente, quando se tem um problema de eficiência na produção, uma das primeiras ideias é a de que não há recursos suficientes. Em razão deste pensamento, os gestores se dispõem a contratar mais funcionários, adquirir mais máquinas, aumentar o pátio de produção, etc. O que certamente não resolve o problema. Isso porque a restrição continuará lá. Por este motivo, Goldrat propõe que o foco seja aumentar a capacidade da etapa restrição, o gargalo.

Ao perceber que as restrições desencadeavam problemas nas organizações, que consequentemente, focavam em maximizar todos os recursos para maximizar seus ganhos, Eliyahu Goldrat concebeu, a Teoria das Restrições. Através do livro “A Meta”, ele conta a história de uma fábrica que estava atrasada, por diversas vezes, na entrega dos seus pedidos, e que em decorrência disso, passa a aplicar a teoria.

A Meta - Teoria das Restrições
Livro “A Meta” 

O principal diferencial da Teoria das Restrições em relação às demais teorias existentes está no fato de que as ações de gestão devem ser concentradas no gerenciamento do recurso de menor capacidade, na restrição do sistema.

http://www.abepro.org.br/biblioteca/enegep2004_enegep0101_1040.pdf

Como funciona?

Eliminar restrições é um ciclo contínuo. Pois, sempre haverá no mínimo uma restrição, seja no processo ou no ambiente externo. Portanto, a teoria propõe o seguinte ciclo:

  1. Identificar a restrição
  2. Explorar a restrição
  3. Subordinar os demais recursos a restrição
  4. Aumentar a capacidade da restrição
  5. Retornar ao passo 1


Para entender melhor seu funcionamento, além de ler o livro, sugiro a assistir o filme “A Meta” a seguir. Já vou avisando que a qualidade não é das melhores. No entanto, o conhecimento adquirido valerá a pena.

Deixe seus comentários e compartilhe este post com seus amigos.

Tags
Veja mais

Brendley Trindade

MBA em Gestão da Qualidade e Engenharia de Produção; Bacharel em Engenharia de Produção; Green Belt em Liderança Seis Sigma. Coautor do livro: Produtividade em Foco - Engenharia a Serviço da Gestão. Atuante na análise e controle de processos.

Comentários no Facebook

Close